Programa

AULA 1 - Introdução / Blaise Pascal
AULA 2 - A Filosofia Existencial de Søren Kierkegaard: Repetição, Absurdo e Fé
AULA 3 - A Filosofia Existencial de Søren Kierkegaard ? Parte II: Angústia, Desespero e Amor
AULA 4 - Os caminhos da liberdade em Dostoiévski 
AULA 5 - Intérpretes de Dostoiévski
AULA 6 - Nietzsche: o que é vida, existência? – crítica ao humanismo greco-cristão. 
AULA 7 - Nietzsche, Zaratustra – venha a ser o que tu és! 
AULA 8 - Miguel de Unamuno e o Sentimento Trágico da Vida
AULA 9 -  Iluminismo, Romantismo e seus desdobramentos nas grandes guerras

AULA 10 - As vanguardas artísticas
AULA 11 – Heidegger: a filosofia e o esquecimento do Ser
AULA 12 - Heidegger e a analítica existencial: ser-humano ou pré-sença [Da-sein]?
AULA 13 - Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir: condenação à liberdade e o engajamento no mundo
AULA 14 - Albert Camus: o Ciclo do Absurdo
AULA 15 - Albert Camus ? Parte II: o Ciclo da Revolta

AULA 16 - Niilismo e tragédia contemporânea
 AULA 17 - O pessimismo na contemporaneidade 
AULA 18 - O Existencialismo no cinema


Referências

ANSELMO. Proslógio. Trad. Angelo Ricci. SP: Nova Cultural, 1988.  
BEAUVOIR, S. Por uma moral da ambiguidade. Tradução de Marcelo Jacques de Moraes. RJ: Nova Fronteira, 2005.  
BENATAR, D. The human predicament: a candid guide to life’s biggest questions. Oxford: Oxford University Press, 2017.
BERDIAEV, N. O Espírito de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Panamericana, s/d.
_____. Reino del Espiritu y Reino del Cesar. Madri: Aguilar, 1963.
BERGMAN, I. A Lanterna Mágica. São Paulo: Cosac & Naify, 2013.
BERLIN, I. The roots of romanticism. Princeton: Princeton University Press, 2013.
BORNHEIM. G. Sartre. São Paulo: Editora Perspectiva, 1971.
CAMUS, A. O Estrangeiro. Rio de Janeiro: Bestbolso, 2010.
_____. O Exílio e o Reino. Rio d Rio de Janeiro: Record, 2005.
_____. O Homem Revoltado. Rio de Janeiro: Record, 2005.
_____. O Mito de Sísifo. Rio de Janeiro: Record, 2005.
_____. A Queda. Rio de Janeiro: Bestbolso, 2007.
_____. A Peste. Rio de Janeiro: Record, 2017.
_____. O Primeiro Homem. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1994.
CHESTOV, L. Kierkegaard y la Filosofía Existencial. Buenos Aires: Sudamericana, 1951.
_____. La Filosofía de la Tragedia. Buenos Aires, Emece, 1949.
_____. La Noche de Getsemaní. Disponível em: http://castalia-tegularius.blogspot.com/2013/09/la-noche-de-getsemani.html. Acesso em 23/12/2018.
_____.  As Obras de Dostoiévski. São Paulo: Lumme, 2017.
_____. As Revelações da Morte. Lisboa: Livraria Morais, 1960.
DALRYMPLE. T. Podres de mimados: as consequências do sentimentalismo tóxico. São Paulo: É Realizações, 2015.
DARTIGUES, A. O que é fenomenologia? SP: Moraes, 1992.  
EURÍPEDES. As bacantes. Trad. Eudoro de Souza. SP: Hedra, 2010. 
DOSTOIÉVSKI, F. M. Crime e Castigo. São Paulo: 34, 2001. 
_____. Os Demônios. São Paulo: 34, 2004.
_____. O Idiota. São Paulo: 34, 2002.
_____. Os Irmãos Karamázov, São Paulo: 34, 2008.
_____. Memórias do Subsolo. São Paulo: 34, 2000.
FARGO, F. Compreender Kierkegaard. Petrópolis: Vozes, 2006.
FERGUSON, N. A guerra do mundo. São Paulo: Planeta, 2015.
FERGUSON, N. The pity of war. Nova York: Penguin, 1999.
FREUD, S. O homem dos lobos e outros textos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
GOETHE, J.W. Novela. SP: 7Letras, 2004. 
HARRIS, S. The moral landscape: how science can determine human values. Nova York: Free Press, 2011.
HEIDEGGER, M. Carta Sobre o Humanismo. SP: Editora Moraes, 1991.  
_____. Nietzsche, 2 vols. RJ: Forense Universitária, 2007. 
_____. Ser e tempo. Tradução revisada e apresentação de Márcia Sá Cavalcante Schuback. 5ª ed. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista, SP: Editora Universitária São Francisco, 2011.  
HOLLINGDALE, R.J. Nietzsche: uma biografia. Tradução de Maria Luiza de Abreu Lima Paz. São Paulo: Edipro, 2015.
HOMERO. Ilíada. Trad. Frederico Lourenço. Lisboa: Livros Cotovia, 2005. 
_____. Odisseia. Trad. Frederico Lourenço. Lisboa: Livros Cotovia, 2003. 
HOUELLEBECQ, M. O mapa e o território. Rio de Janeiro: Record, 2012.
KANDEL, E. The age of insight: the quest to understand the unconscious in art, mind and the brain, from Vienna 1900 to the present. Nova York: Random House, 2012. 
KIERKEGAARD, S. O Conceito de Angústia. Petrópolis: Vozes, 2014.
_____. O Desespero humano. São Paulo: Martin Claret, 2002.
_____. As Obras do Amor. Algumas considerações cristãs em forma de discursos. Petrópolis: Vozes, 2005.
_____. A Repetição. Lisboa: Relógio D’água, 2009. 
_____. Temor e Tremor. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.
LIGOTTI, T. The conspiracy againt the human race: a contrivance of horror. Nova York: Penguin, 2018.
MARIAS, J. Miguel de Unamuno. Buenos Aires: Espasa-Calpe, 1951.
MOTTA, C.E.V.P. Do Orgulho à Queda. In. Os Caminhos da Liberdade: Polifonia, Sofrimento e Redenção n’Os Irmãos Karamázov. Tese de Doutorado, PUC-Rio, 2013.
MURRAY, D. The strange death of Europe: immigration, identity, Islam. Londres: Bloomsbury Continuum, 2017.
NIETZSCHE, F. Assim falou Zaratustra. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Cia da Letras, 2011.
_____. Ecce homo: como alguém se torna o que é. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Cia da Letras, 2008.
_____. Genealogia da moral: uma polêmica. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Cia da Letras, 2009. 
_____. O Nascimento da Tragédia: ou helenismo e pessimismo. Tradução, notas e posfácio de J. Guinsburg. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
PINKER, S. Enlightenment Now: the case for reason, science, humanism and progress. Nova York: Viking, 2018.
_____. Os anjos bons da nossa natureza: por que a violência diminuiu. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.
PLATÃO. Apologia de Sócrates. Trad. Carlos Alberto Nunes. Belém: Edufpa, 2013. 
_____. Fédon. Trad. Carlos Alberto Nunes. Belém: Edufpa, 2013.
PUTNAM, H. Ethics without ontology. Cambridge, MA: Harvard University Press, 2009.
RICHARDSON, W. Through Phenomenology to Tought. NY: Fordham University, 2003. 
SAFRANSKI, R. Heidegger: um mestre da Alemanha entre o bem e o mal. Tradução de Lya Luft. São Paulo: Geração Editorial, 2013.
SARTRE, J. P. A náusea. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 2019.  
_____. O existencialismo é um humanismo. São Paulo: Abril Cultural, 1973.  
_____. O muro. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 2015.  
_____. O ser e o nada: Ensaio de ontologia fenomenológica. Petrópolis: Vozes, 2005.  
SCHELER, M. A situação do homem no cosmos. Lisboa: Edições Texto e Grafia, 2008.  
_____. Do eterno no homem. Petrópolis: Vozes, 2015.
SCHILLER, F. Do sublime ao trágico. SP: Autêntica, 2011.
SCHOPENHAUER, A. O Mundo como Vontade e Representação. Rio de Janeiro: Contraponto, 2001. 
SÓFOCLES. Édipo em Colono. Trad. Mário da Gama Kury. RJ: Zahar, 1998. 
_____. Édipo rei. Trad. Mário da Gama Kury. RJ: Zahar, 1998. 
SCRUTON, R. As vantagens do pessimismo: e o perigo da falsa esperança. São Paulo: É Realizações, 2016.
TARKOVSKI, A. Esculpir o Tempo. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
UNAMUNO, M. de. Contra Esto y Aquello. Buenos Aires: Espasa-Calpe, 1950.
_____. Del Sentimiento Trágico de la Vida. Barcelona: Folio, 2002.
_____. La Vida de Don Quijote y Sancho. Disponível em: http://www.textos.info/.
_____. Visiones y Comentarios. Buenos Aires: Espasa-Calpe, 1949.

WEISS, M; HASSAN, H. Estado Islâmico: desvendando o exército do terror. São Paulo: Editora Seoman, 2015.
WILSON, E. O. O significado da vida. Nova York: Liveright, 2015.
ZIZEK, S. Isis is a disgrace to true fundamentalism. Disponível em https://opinionator.blogs.nytimes.com/2014/09/03/isis-is-a-disgrace-to-true-fundamentalism/#more-154035. Acesso em 20/12/2018.