Programa

As aulas ocorrerão as 3ª. e 5ª. feira das 20h às 22h.

 

Primeira Parte: espaço histórico-cultural

•           Localização geográfica e histórica das fontes culturais da Ásia, com destaque ao surgimento e desenvolvimento da nação chinesa.

•           As fontes da sabedoria chinesa na dinastia Zhou na China: o cânone chinês e os “cinco clássicos (confucianos)”: Shijing (Livro dos Odes), Shangshu ou Shujing (Livros dos Documentos), Liji (Livro dos Ritos), Yijing (Livro das Mutações) e o Chunqiu (Anais da Primavera e Verão).

•           As principais escolas do pensamento chinês: além das “três fontes do pensamento chinês” (Confucionismo, Taoísmo e Moísmo), um relance sobre escolas menos conhecidas porém fundamentais para a construção da identidade chinesa (e asiática), como o Moísmo, o Legalismo, a Escola dos Nomes e o desenvolvimento após a dinastia Han (202 aC-200 dC).

•           Budismo na Índia e na China: as raízes hinduístas, a influência indo-europeia e a “sinização” da tradição budista. As sete escolas originais do Budismo chinês e seus desenvolvimentos.

 

Segunda parte: reflexões em filosofia comparativa

 

•           Tradições chinesa, indiana e grega: questões sobre a viabilidade de uma filosofia comparativa, comensurabilidade metodológica, epistemológica, metafísica e ética.

•           Como (e se) podemos falar de uma filosofia oriental: as consequências que nossa discussão traz para uma reflexão sobre os usos da palavra filosofia.

•           A questão da linguagem: os termos das diferentes tradições filosóficas no diálogo através da fronteira da tradução; uma discussão sobre a (im)possibilidade de “conceitos” universais.

•           Os “conceitos” vivos e gráficos: o espaço e influência da escrita chinesa na filosofia e linguagem da China.

•           Uma exploração introdutória sobre as fontes da alteridade chinesa e da Ásia Oriental.

 

Terceira parte: a China hoje entre o passado e o futuro

 

•           A história da China e a China olhando a sua história: breve reflexão sobre os padrões da história chinesa e sobre a “grande divergência” entre a China e o Ocidente a partir do século XIX.

•           Fontes da tradição chinesa na China contemporânea: debate entre um Confucionista e um Taoísta.

•           A China de hoje olhando para trás ou para frente: renascimento da tradição Confucionista na China ou uma “ocidentalização” da sociedade chinesa?

•           Procurando palavras para discutir o sistema sócio-político na China hoje: como falar de democracia, autocracia e outros regimes políticos no contexto chinês.

•           O “sistema Tianxia” e visões chinesas sobre o mundo hoje: reflexões sobre softpower e hardpower dentro e fora da China.