Programa

Programa de Curso:

Primeira Parte: espaço histórico-cultural

•          Localização geográfica e histórica das fontes culturais da Ásia, com destaque ao surgimento e desenvolvimento das civilizações chinesa e indiana.

•          As fontes da sabedoria chinesa na dinastia Zhou na China: o cânone chinês e os “cinco clássicos (confucianos)”: Shijing (Livro dos Odes), Shang Shu ou Shujing (Livros dos Documentos), Liji (Livro dos Ritos), Yijing (Livro das Mutações) e o Chunqiu (Anais da Primavera e Verão).

•          Confucionismo: de Confúcio até Mengzi e Xunzi

•          Taoísmo: Zhuangzi, Laozi e Liezi

•          Moísmo: Mozi

•          Naturalismo ou Escola do Yin Yang: Zou Yan

•          Legalismo: Hanfeizi

•          Escola dos Nomes ou os Lógicos: Gongsun Long e Hui Shi

•          Neo-Taoísmo: Wang Bi e He Yan

•          Neo-Confucionismo, à partir do século VIII

•          As fontes da sabedoria indiana e introdução às principais escolas do Hinduísmo clássico

•          Budismo na Índia e na China: influências indo-europeias e a “sinização” da tradição budista. As sete escolas originais do Budismo chinês e seus desenvolvimentos.

Segunda parte: reflexões em filosofia comparativa

•          Tradições chinesa, indiana e grega: questões sobre a viabilidade de uma filosofia comparativa, comensurabilidade metodológica, epistemológica, metafísica e ética.

•          Como podemos falar de uma filosofia oriental e quais as consequências que essa discussão tem para uma reflexão sobre os usos da palavra filosofia.

•          A questão da linguagem: os termos das diferentes tradições filosóficas no diálogo através da fronteira da tradução: uma discussão sobre a (im)possibilidade de “conceitos” universais.

•          Os “conceitos” vivos e gráficos: o espaço e influência da escrita chinesa na filosofia e linguagem da China.

•          Uma exploração introdutória sobre as fontes da alteridade chinesa e da Ásia Oriental.