Disciplinas

Anatomia Funcional e Biomecânica

Módulo: 1
Carga horária: 60 horas

Construção do raciocínio clínico para a análise dos mecanismos responsáveis pelo desempenho do movimento humano. Estudo de conceitos atuais da biomecânica e cinesiologia relacionados às lesões musculoesqueléticas. Funções musculares nas articulações acometidas por lesões. Biomecânica aplicada à clínica fisioterapêutica.

Objetivos: Compreender os conceitos básicos da cinesiologia e biomecânica no contexto da reabilitação de patologias musculoesqueléticas. Aprimorar e desenvolver recursos terapêuticos utilizando os conhecimentos da cinesiologia e biomecânica para tratamento das lesões musculoesqueléticas.

Metodologia: O conteúdo do módulo 1 será desenvolvido com a utilização de mapas conceituais para construção do conhecimento dos princípios da biomecânica, além de aplicação de estudo dirigido, lista de exercícios, com posterior apresentação e discussão do material produzido pelos alunos.

Nos módulos 2, 3 e 4 será proposta resolução de estudo de casos utilizando o método de aprendizagem baseada em problemas (problem based learning - PBL), assim como será conduzida a interpretação e discussão de artigos científicos, que serão base de atividades práticas, de forma que a aprendizagem seja efetuada entre pares e times (team based learning - TBL), realizando simulação de tratamentos com base na cinesiologia e biomecânica para a aquisição do conhecimento teórico.

Avaliação: As avaliações serão realizadas através de demonstrações práticas, realização de trabalhos e lista de exercícios, representando atividades acadêmicas de ensino, de acordo com o conteúdo da disciplina.

Conteúdo Programático:

1) Princípios da biomecânica

1.1.         Estática

1.2.         Dinâmica

1.3.         Cinética

1.4.         Cinemática

1.5.         Osteocinemática

1.6.         Artrocinemática

2) Cinesiologia e biomecânica dos membros superiores aplicadas aos mecanismos de lesão

2.1. Complexo do ombro

2.2. Cotovelo

2.3. Punho e mão

3) Cinesiologia e biomecânica da coluna vertebral aplicadas aos mecanismos de lesão

3.1. Cervical

3.2. Torácica

3.3. Lombar

3.4. Sacroilíaca

4) Cinesiologia e biomecânica dos membros inferiores aplicadas aos mecanismos de lesão

4.1. Quadril

4.2. Joelho

4.3. Tornozelo e pé

Bibliografia:

1.     Nordin, M.; Frankel, V. H. Biomecânica básica do sistema musculoesquelético. 4ª Ed. Editora: Guanabara Koogan, 2014.

2.     Hall, S. Biomecânica Básica - 7ª Ed. Editora: Guanabara Koogan, 2016.

3.    Neumann, D. A. Cinesiologia do Aparelho Musculoesquelético - Fundamentos Para A Reabilitação - 3ª Ed. Editora: Elsevier, 2018.

Anatomia Palpatória

Módulo: 1
Carga horária: 70 horas

Estudo e prática da avaliação de estruturas musculoesqueléticas por meio de técnicas palpatórias. Definição e conceitos relacionados às técnicas gerais de palpação e seus princípios. Condutas para análise e interpretação de achados referentes à consistência de tecidos corporais investigados no aparelho locomotor. Palpação em tecidos distintos. Análise das estruturas anatômicas quanto à mobilidade articular, fascial, muscular e a correlação entre elas.

Objetivos: Conceituar os princípios da anatomia palpatória para prática clínica. Identificar estruturas do sistema musculoesquelético, nervoso e vascular por meio de palpação. Analisar as estruturas anatômicas e interpretar os resultados encontrados correlacionando com as implicações na reabilitação dos pacientes.

Metodologia: O módulo 1 será composto pelo desenvolvimento de mapas conceituais relacionados aos princípios básicos da anatomia palpatória, com posterior interpretação e discussão de artigos científicos, além de apresentações elaboradas pelos alunos sobre situações encontradas na prática clínica e pesquisa científica.

A proposta do conteúdo dos módulos 2, 3 e 4 será desenvolvida com a técnica de classe invertida (flipped classroom), por meio de práticas demonstrativas das técnicas e atividades que utilizam abordagens da palpação sendo realizadas entre os alunos, assim como atividades para a aquisição do conhecimento com utilização de marcações dos pontos anatômicos (uso de lápis dermatográfico), que serão desenvolvidas e apresentadas pelos alunos.

Avaliação: As avaliações poderão ser realizadas através de demonstrações práticas, realização de trabalhos e lista de exercícios, representando atividades acadêmicas de ensino, de acordo com o conteúdo da disciplina.

Conteúdo Programático:

1) Cabeça e pescoço

1.1 Cabeça

1.2 Pescoço

2) Membro superior

2.1 Ombro

2.2 Braço

2.3 Cotovelo

2.4 Antebraço

2.5 Punho e mão

3) Tronco e Quadril

3.1 Pelve

3.2 Sacro

3.3 Coluna lombar

3.4 Coluna torácica

3.5 Costelas e esterno

3.6 Coluna cervical

4) Membro Inferior

4.1 Quadril

4.2 Joelho

4.3 Perna

4.4 Tornozelo

4.5 Pé

Bibliografia:

1.     Field, D. Anatomia Palpatória. 2ª Ed. Editora: Manole, 2001.

2.     Tixa, S. Atlas de Anatomia Palpatória - Do Pescoço, do Tronco e do Membro - Vol. 1 - 2ª Ed. Editora: Manole, 2009.

3.     Tixa, S. Atlas de Anatomia Palpatória - Do Membro Inferior – Vol. 2 - 3ª Ed. Editora: Manole, 2009.

Fisiologia do Exercício e Treinamento Desportivo

Módulo: 2
Carga horária: 20 horas

Abordagem atualizada dos efeitos da atividade física nos sistemas fisiológicos. Prescrição dos exercícios nos diferentes locais de atuação do fisioterapeuta. Raciocínio clínico para embasar a prescrição direcionada de exercícios para a reabilitação de forma personalizada.

Objetivos: Possibilitar o desenvolvimento da prescrição de exercícios físicos com fins de promoção de saúde nos diversos níveis de atuação e atenção ao paciente embasados na metodologia técnica e científica.

Metodologia: Aulas expositivas e dialogadas. Aprendizagem baseada em problemas, aprendizagem baseada em casos e aprendizagem baseada em equipes.

Avaliação: Cada estudante deverá entregar a sua síntese individual com as referências. O instrumento de avaliação levará em consideração a qualidade da síntese e sua participação individual e coletiva.

Conteúdo Programático:

1) Fisiologia Básica aplicada ao Exercício

A respiração celular e sua relação com os diferentes tipos de exercício.

2) Fisiologia dos Sistemas aplicada ao Exercício

Fisiologia do sistema neuromuscular aplicada ao exercício;

Fisiologia do sistema cardiovascular aplicada ao exercício;

Fisiologia do sistema respiratório aplicada ao exercício;

Fisiologia do sistema endócrino aplicada ao exercício.

3) Fisiologia do Exercício aplicada aos diversos níveis de atuação (secundária e terciária)

Métodos de avaliação;

Prescrição de exercício aeróbico e de fortalecimento para atletas;

Prescrição de exercício aeróbico e de fortalecimento para populações clínicas e especiais (diabéticos, obesos, pessoas com doenças cardiopulmonares).

Bibliografia:

1.     ACSM. Diretrizes do ACSM para os testes de esforço e sua prescrição. 10ª Ed. Guanabara Koogan, 2018.

2.     HOWLEY, EDWARD T., POWERS, SCOTT K. Fisiologia do Exercício - Teoria e Aplicação ao Condicionamento e ao Desempenho. 8ª Ed. Manole, 2014.

3.     SILVERTHORN. Fisiologia Humana, uma abordagem integrada. 2ª Ed. Manole. 2003.

Metodologia da Avaliação Fisioterapêutica

Módulo: 2
Carga horária: 60 horas

Estudo e prática da avaliação cinético-funcional do aparelho locomotor. Conceitos relacionados às técnicas de anamnese, exame físico, testes específicos e fisiodiagnóstico. Exames de imagem na avaliação fisioterapêutica. Desenvolvimento dos conceitos teóricos na prática da avaliação fisioterapêutica. Desenvolvimento do processo de avaliação fisioterapêutica.

Objetivos: Desenvolver as habilidades necessárias para diagnosticar as patologias traumato-ortopédicas. Elaborar com precisão o fisiodiagnóstico mediado pelos distúrbios cinético-funcionais. Prescrever os tratamentos necessários mediados por técnicas eficazes para a recuperação funcional do aparelho locomotor.

Metodologia: Desenvolvimento de aprendizagem baseada em casos e aprendizagem baseada em equipes, atividades práticas em ambientes realísticos e sociodrama de situações da prática profissional.

Avaliação: Apresentação em grupo na forma de sociodrama para a turma com discussão em grupo.

Conteúdo Programático:

1) Anamnese

2) Exame físico

3) Diagnóstico cinético-funcional

4) Objetivos e elaboração do tratamento

Bibliografia:

1.     Magee, D. J. Avaliação musculoesquelética. 5ª Ed. São Paulo: Manole, 2010.

2.     HOPPENFELD, S. Propedêutica ortopédica: coluna e extremidades. São Paulo: Atheneu, 2005.

O'SULLIVAN, S. B. Fisioterapia: Avaliação e Tratamento. São Paulo: Manole, 2004.

Recursos Terapêuticos Manuais

Módulo: 2
Carga horária: 70 horas

Conceito, histórico e princípios básicos da terapia manual. Terminologia lesional e disfunção somática. Hipomobilidade e hipermobilidade reacional. Aplicação dos testes palpatórios de mobilidade. Atuação visceral e cranial da terapia manual. Demonstração de exemplos de cadeias lesionais. Técnicas de normalização: thrusts, mobilizações, energia muscular, técnicas funcionais e técnicas neuromusculares.

Objetivos: Introduzir os conceitos fundamentais e a filosofia de trabalho terapêutico embasados na metodologia científica de avaliação e de tratamento pela terapia manual.

Metodologia: Aulas expositivas dialogadas sempre associadas à prática.

Construção de mapas conceituais ao final.

Avaliação: Cada estudante deverá entregar um mapa conceitual por cada abordagem.

Conteúdo Programático:

1) Maitland

2) Mulligan

3) Mobilização neural

4) FNP

5) Crochetagem

6) Osteopatia

Todos os módulos abordados serão baseados nos seguintes princípios:

A) Conceito, histórico e princípios básicos da terapia manual, terminologia lesional e disfunção somática, conceito de hipomobilidade e hipermobilidade reacional, testes palpatórios de mobilidade.

B) Conceitos básicos da atuação visceral e cranial da Osteopatia e técnicas manipulativas:

- Biomecânica diafragmática e a mobilidade visceral;

- O sistema craniossacral e atuação no Sistema Nervoso Autônomo;

- Exemplos de cadeias lesionais;

- Técnicas de normalização: thrusts, mobilizações, energia muscular, técnicas funcionais e técnicas neuromusculares.

-Aula prática.

Bibliografia:

1. GOODMAN, Catherine C. Diagnóstico diferencial em Fisioterapia. 4ª Ed. Elsevier, 2010.

2. GREEMAN, Philip E. Princípios da medicina manual. 2ª Ed. Manole, 1996.

3. PARSONS, JON e MARCER, NICHOLAS. Osteopathy: Models for Diagnosis, Treatment and Practice. Churchill Livingstone, 2006.

Metodologia da Pesquisa

Módulo: 3
Carga horária: 20 horas

Conhecimento Científico; Pesquisa científica e etapas de estruturação e elaboração de um projeto de pesquisa.

Avaliação: A avaliação da disciplina será composta por participação nas atividades teóricas da disciplina e apresentação de um plano de desenvolvimento do seu Trabalho de Conclusão de Curso.

Bibliografia  Principal:

1.     GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

2.     VOLPATO, G. Ciência: da filosofia à publicação. São Paulo, Cultura Acadêmica, 2007.

3.     VOLPATO, G.; BARRETO, R. Elabore Projetos Científicos Competitivos Botucatu, Best Writing Editora, 2014.

Posturologia

Módulo: 3
Carga horária: 40 horas

Conceitos de avaliação postural, controle postural e de utilização de captores posturais. Influência visceral e emocional na postura. Conceito e aplicação da baropodometria e da biofotogrametria. Conceitos de cadeias musculares e articulares GDS e RPG, estabilização segmentar. Integração conceitual e da aplicação dos métodos estudados.

Objetivos: Estimular o desenvolvimento teórico e prático correlacionado aos diversos tipos de avaliação postural com finalidade clínica aplicada. Possibilitar o profissional raciocinar e desenvolver estratégias de tratamento embasadas em sua avaliação postural.

Metodologia: Aula expositiva dialogada. Aprendizagem baseada em problema. Demonstração prática. Simulação prática. Problematização.

Avaliação: Cada aprendiz deverá entregar a sua síntese individual com as referências e apresentar a construção do arco de Maguerez sobre os casos concretos trabalhados no decorrer das aulas.

Conteúdo Programático:

1) Conceitos e avaliação postural.

1.1 Controle postural

1.2 Avaliação postural estática

1.3 Uso de captores posturais (ocular, oclusal e podal) e influência de cicatrizes e aderências fasciais

1.4 Aula prática com divisão em grupos.

2) Influências no controle postural e avaliação da postura através de dispositivos.

2.1 Influências viscerais e da emoção no controle postural

2.2 Baropodometria

2.3 Biofotogrametria (sofware SAPO)

3) Avaliação através do Método de Cadeias Musculares e Articulares GDS.

3.1 Conceitos básicos e as tipologias

3.2 Avaliação: Atitude postural de perfil (flash), análise morfológica segmentar

3.3 Edições da pelve e testes de elasticidade

3.4 Divisão dos grupos e entrega das situações-problemas relativas ao próximo módulo

4) RPG e Estabilização Segmentar.

4.1 Construção das sínteses coletivas

4.2 Roda de conversa para apresentação das soluções das situações-problemas

4.3 Avaliação prática

4.4 Quando utilizar?

5) Integração dos conceitos.

5.1 Problematização (resolução do Arco de Maguerez) com base em casos concretos;

5.2 Propostas de tratamento.

Bibliografia:

1.     BRICOT, B. Posturologia Clínica. São Paulo: CIES Brasil, 2010.

2.     CAMPIGNION, P. Aspectos Biomecânicos. Cadeias Musculares e Articulares – Método G.D.S. Noções Básicas. São Paulo: Summus, 2003.

3.     SIBLEY K.M., MOCHIZUKI G., LAKHANI B., MCILROY W.E. Autonomic contributions in postural control: a review of the evidence. Rev Neurosci.; 25(5):687-97, 2014.

Psicologia do Esporte

Módulo: 3
Carga horária: 60 horas

Fundamentos teóricos da psicologia no esporte. Relação entre desempenho humano e ativação psicológica, juntamente com a motivação para práticas esportivas. Benefícios emocionais e cognitivos do esporte e das práticas de atividade física. O esporte como instrumento de coesão, inclusão e harmonia social. A intervenção da prática psicológica com a finalidade de evitar lesões, danos e riscos. Aplicação da intervenção psicológica na recuperação de atletas. Mindfulness para desempenho e proteção na prática de esporte e de atividade física, e para recuperação de lesões traumato-ortopédicas.

Objetivos: Conhecer as principais contribuições que a psicologia pode oferecer para a área esportiva. Conhecer os diferentes processos mentais que interferem no rendimento dos atletas e praticantes de atividade física, com a finalidade de desenvolver recursos que contribuam para a ação do profissional da área esportiva. Desenvolver a compreensão das relações entre a psicologia e as práticas de atividades físicas.

Metodologia: Aulas expositivas, palestras envolvendo atletas e psicólogos desportivos, práticas ativas de mindfulness, prática baseada em sociodrama.

Avaliação: Apresentação sobre a temática proposta, baseada em entrevista com profissional da área da psicologia social ou desportiva para estimular uma plenária sobre o assunto com a participação da turma.

Conteúdo Programático:

1) O que é psicologia?

2) Motivação e emoção

3) Psicologia desportiva e a sua aplicação

4) Psicologia social comunitária

5) Mindfulness (Plenitude Mental)

Bibliografia:

1.     SAMULSKI, D. M. Psicologia do esporte: conceitos e novas perspectivas. 2ª Ed. Barueri: Manole, 2009. 496 p.

2.     DEMARZO, M. M. P.; GARCIA-CAMPAYO, J. Manual Pratico de Mindfulness: Curiosidade e Aceitação. 1ª Ed. São Paulo-SP: Palas Athena, 2015. v. 1. 246p.

3.     MUMFORD, G. The Mindful Athlete - Secrets to Pure Performance. Berkeley: Parallax Press, 2015.

Recursos Eletrotermofototerapêuticos e Hidroterapêuticos

Módulo: 3
Carga horária: 30 horas

Fundamentação na biofísica dos recursos terapêuticos. Utilização de recursos eletrotermofototerapêuticos de baixa, média e alta frequência. Mecanismos de ação dos recursos eletrotermofototerapêuticos. Indicações, contraindicações, precauções e técnicas de aplicação. Aspectos conceituais da fisioterapia aquática; o meio líquido e seu complexo de propriedades e princípios físicos. Efeitos fisiológicos e terapêuticos da imersão do corpo em água aquecida. Avaliação cinético-funcional na hidroterapia. Processo de tomada de decisão clínica relacionado à aplicação da hidroterapia clínica. Elaboração de programas de intervenção na hidroterapia. Aplicabilidade das técnicas de hidroterapia na reabilitação funcional de pacientes com disfunções musculoesqueléticas e/ou patologias traumato-ortopédicas.

Objetivos: Demonstrar a eficácia da aplicação dos diversos recursos eletrotermofototerapêuticos utilizados na fisioterapia traumato-ortopédica e desportiva, baseado em evidência científica. Fomentar um estudo crítico e reflexivo sobre as bases físicas e fisiológicas da hidroterapia e sua interface com a prática clínica do fisioterapeuta. Abordar e discutir o processo de tomada de decisão clínica relacionado à aplicação da hidroterapia clínica. Abordar e demonstrar diferentes técnicas cinesioterapêuticas de hidroterapia na reabilitação aquática de pacientes com disfunções musculoesqueléticas. Oportunizar condições para o aluno prosseguir no estudo e investigação científica da hidroterapia.

Metodologia: Aprendizagem baseada em equipes, problematizações, com sistematização dos conceitos por meio de exposições, leitura de textos, debates, rodas de conversa, elaboração de situações-problema, construção de mapas conceituais, vivência prática, elaboração e discussão de procedimentos a partir de estudo de casos clínicos, debates e tempestade de idéias.

Avaliação: Elaboração de procedimentos a serem aplicados em casos considerando as técnicas e os recursos discutidos.

Conteúdo Programático:

1) Conceitos e histórico dos recursos eletrotermofototerapêuticos.

2) Eletrotermofototerapia na reabilitação funcional de pacientes com disfunções traumato-ortopédicas e desportivas

3) Hidroterapia: Aspectos conceituais e suas bases físicas e fisiológicas.

4) Hidroterapia Clínica.

5) Principais Técnicas de hidroterapia utilizadas na reabilitação funcional de pacientes com disfunções traumato-ortopédicas.

Bibliografia:

1. WATSON, Tim. Eletroterapia: prática baseada em evidência. 12ª Ed. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, 2009.

2. ROBERTSON VAL, Ward Alex, Low John, Reed Ann. Eletroterapia Explicada: Princípios e prática.. 4ª Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

3. CAMPION, M.R. Hidroterapia: Princípios e Prática. São Paulo: Manole, 2000.

Trabalho de Conclusão de Curso

Módulo: 3

Trabalho de final de curso.