Disciplinas

A Representação da Infância na Literatura

Carga horária: 20 horas

A Representação do gênero nas artes plásticas, música e literatura.

Bibliografia Principal:

ARIÉS, Philippe. História Social da Criança e da Família.  Rio de Janeiro; LTC Editora,  2006.

BETTELHEIM, Bruno. A psicanálise dos contos de fadas. São Paulo: Paz e Terra,1980.

DERRIDA, Jacques. Pensar a desconstrução. São Paulo: Perspectiva, 1971.

As Mudanças nas Famílias Brasileiras: Gênero, Cuidado e Parentalidade em Tempos de Familismo

Carga horária: 24 horas

As mudanças nas famílias brasileiras a partir das categorias de gênero e  cuidado: o surgimento da noção de parentalidade. As políticas públicas de atenção às famílias, as demandas e os processos de responsabilização: o familismo.

Bibliografia Principal:

ARAÚJO, Clara; SCALON, Mª Cecília (Org.) Gênero, Família e Trabalho no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

GOLDANI, Ana M. “Família, gênero e políticas: famílias brasileiras nos anos 90 e seus desafios como fator de proteção”. In: Revista Brasileira de Estudos da População. Volume 19, n.1, jan./jun. 2002, p. 29-48.

MIOTO, Regina C. T.; CAMPOS, Marta S.; CARLOTO, Cássia M. (org.). Familismo, Direitos e Cidadania: contradições da política social. São Paulo: Cortez, 2015.

Violência Doméstica Contra a Mulher: uma Perspectiva de Gênero

Carga horária: 20 horas

Gênero; violência de gênero; contra a mulher; tipos de violência contra a mulher; violência doméstica contra a mulher; tipos de violência doméstica contra a mulher; ciclo da violência doméstica contra a mulher perpetrada pelo parceiro íntimo.

Bibliografia Principal:

ALMEIDA, S. S. de. Essa violência mal-dita. In: ALMEIDA, S. S. de. (Org.) Violência de gênero e políticas públicas. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007. p. 23-41.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Violência perpetrada por parceiros íntimos. Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra: Organização Mundial da Saúde, 2002. p. 91-121.

SOARES, B. M. Mulheres invisíveis: violência conjugal e novas políticas de segurança. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes: Trabalhando o Conceito

Carga horária: 28 horas

Estudo teórico dos conceitos e tipologias sobre violências contra crianças e adolescentes. História da violência contra crianças e adolescentes e as particularidades na sociedade brasileira. Fatores socioculturais e econômicos associados à violência contra crianças e adolescentes. As dinâmicas familiares onde ocorrem as violências.

Bibliografia Principal:

ASSIS, S. G. O Percurso da Violência na História Ocidental: Infância e Saúde. Horizontes. Volume 17: Bragança Paulista, 1999.

NJAINE, K. (et. al.). Impactos da Violência na Saúde. 2 ed. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz; Educação à Distância da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, 2009.

PASINATO, W. Questões atuais sobre gênero, mulheres e violência no Brasil. Revista Praia Vermelha. 14 e 15. 130 – 154, 2006.

Abordagens com Crianças e Famílias em Situação de Ruptura Familiar e Violência Doméstica.

Carga horária: 28 horas

Abordagens com crianças e famílias em situação de ruptura familiar e violência doméstica: a escuta, a articulação com a rede, a intervenção. Os processos de avaliação e a elaboração do parecer profissional: os instrumentos operativos e os impasses éticos.

Bibliografia Principal:

AMARO, Sarita. Visita Domiciliar: teoria e prática. Campinas: Papel Social, 2014.

BERNARDI, Dayse C. F. (Coord.) Cada caso é um caso: a voz das crianças e adolescentes em situação de abrigamento.  São Paulo: Associação Fazendo História: NECA - Associação dos Pesquisadores de Núcleos de Estudos e Pesquisas sobre a Criança e o Adolescente, 2010.

MIOTO, Regina C. T. “Orientação e acompanhamento social a indivíduos, grupos e famílias”. In: Serviço Social: direitos e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009, p.  497-512.

Avaliação de Alegação de Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes

Carga horária: 28 horas

Aspectos sócio-culturais do abuso sexual. Definições e identificação de abuso sexual. Incesto. Autores de abuso sexual. A família vítima de abuso sexual. Consequências do abuso sexual na infância e na adolescência. Entrevistas de avaliação da alegação de abuso sexual com crianças e adolescentes. Prevenção. Gerenciamento de casos de abuso sexual.

Bibliografia Principal:

FURNISS, Tilman. Abuso sexual da criança: uma abordagem multidisciplinar, Porto Alegre, Artes Médicas, 1993.

Gabel, Marceline (org.) Crianças vítimas de abuso sexual. São Paulo, Summus, 1997.

OLIVEIRA. Antonio C. Abuso sexual intrafamiliar de crianças e ruptura do segredo: consequências para as famílias, tese de doutorado, Departamento de Serviço Social, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

Políticas Públicas e Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes

Carga horária: 28 horas

As políticas públicas para a infância e adolescência no Brasil. A legislação brasileira e a violência contra criança e ao adolescente.  O Sistema de Garantia de Direitos e a construção da rede de atendimento e enfrentamento. Políticas públicas, planos e programas no enfrentamento a violência contra a criança e adolescente.

 Bibliografia Principal:

LÉPORE Paulo, ROSSATO Luciano Alves, CUNHA Rogério Sanches. Estatuto da Criança e do Adolescente comentado. 7ª edição Ed. Revista dos Tribunais

O SOCIAL EM QUESTÃO. Infância e Juventude: processos de vulnerabilização e estratégia de resistência, v1 ano 19 nº 35, 1º semestre de 2016.

SAFFIOTI, Heleieth. No fio da navalha: violência contra crianças e adolescentes no Brasil atual. In: MADEIRA, Felícia. Quem mandou nascer mulher: estudos sobre crianças e adolescentes pobres no Brasil. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, Record, 1997

Transtorno de Estresse Pós-Traumático (Tept)

Carga horária: 16 horas

Situações de trauma: assaltos, estupros, assassinatos de pessoas amadas, presenciando cenas altamente violentas. Sintomas do transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). Situações de cativeiro (mulher espancada, prisioneiros de guerra, vítimas de tortura, situações de incesto, sequestro) que resultam em trauma repetitivo. Consequências para o desenvolvimento de crianças e adolescentes que vivem situações de violência familiar. Formação de vínculos de apego com figuras parentais autoras de violência. Transferência e contratransferência. Etapas de recuperação de pessoas com transtorno de estresse pós-traumático.

Bibliografia Principal:

CAMINHA, Renato M. A violência e seus danos à criança e ao adolescente. IN: UNICEF. Violência doméstica, Brasília, UNICEF, 2000.

CLASSIFICAÇÃO DE TRANSTORNOS MENTAIS E DE COMPORTAMENTO DA CID-10, Descrições clínicas e diretrizes diagnósticas, Porto Alegre, Artes Médicas, 1993.

MILLER, Mary S. Feridas invisíveis: abuso não-físico contra mulheres, São Paulo, Summus, 1999.

Estágio I

Carga horária: 44 horas

Prática profissional e sua relação com os conteúdos das disciplinas de Supervisão I e com as disciplinas do Módulo I. Espaço para implementar as estratégias e intervenções com situações de violência doméstica contra crianças e adolescentes.

Estágio II

Carga horária: 44 horas

Prática profissional e sua relação com os conteúdos das disciplinas de Supervisão II e com as disciplinas do Módulo II. Espaço para implementar as estratégias e intervenções com situações de violência doméstica contra crianças e adolescentes.

Metodologia da Pesquisa

Carga horária: 24 horas

Metodologia do trabalho científico. Procedimentos básicos para o trabalho intelectual. A questão do conhecimento. Senso comum e saber científico.

Bibliografia Principal:

ALVES, Rubem. Filosofia da Ciência: introdução ao jogo e a suas regras. Leituras Filosóficas. São Paulo: Loyola, 10.ª edição, 2005.

MINAYO, M.ª Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 31.ª edição, 2012.

Supervisão I

Carga horária: 28 horas

Cuidado, proteção e responsabilização nas dinâmicas de violências familiares. Aspectos teórico-técnicos do manejo de casos de violência doméstica contra crianças e adolescentes. Políticas setoriais e políticas especializadas.

Bibliografia Principal:

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei n°8069, de 13 de julho de1990.

_____. Política Nacional de Assistência Social. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, 2004.

_____.  Violência intrafamiliar: orientações para prática em serviço / Ministério da Saúde.

Secretaria de Políticas de Saúde. Capítulos IV e V. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

Supervisão II

Carga horária: 28 horas

Resiliência familiar. Diagnóstico, tratamento e encaminhamento de casos de violência doméstica. Interdisciplinaridade, multidisciplinaridade, transdisciplinaridade. Atuação em rede. Possibilidades e limites interinstitucionais. Referencia e contra-referência.

Bibliografia Principal:

OLIVEIRA, A. C. ; FERNANDES, N. C. B. B. (org.) Violências contra crianças e adolescentes: redes de proteção e responsabilização. Rio de Janeiro: Nova Pesquisa e Assessoria em Educação, 2007.

RAVAZZOLA , M. C. Resiliências familiares. In: MELILLO, A; OJEDA, E. N. S. (Org.). Resiliência: descobrindo as próprias fortalezas. Trad. Valério Campos. Porto Alegre: Artmed, 2005, p.73-85

Trabalho de Conclusão de Curso

Trabalho de Conclusão